Carrinho
Bem Vindo, Visitante. Cadastre-se aqui.
Home > Vaginas Deprimidas

Vaginas Deprimidas

Vagina deprimida é uma condição extremamente dolorosa e que requer cuidados especiais, saiba mais para proteger-se.

Você já ouviu falar em vaginas deprimidas?

Não se trata de nenhuma gracinha, a condição existe e pode trazer sofrimento para a mulher, principalmente quando demora a ser diagnosticada.

O nome é Vulvodínia, condição dolorosa que pode atrapalhar a vida sexual, além de trazer incomodo até mesmo para andar, vestir-se etc. O simples roçar dos tecidos causa imenso desconforto.

Estudos mostram que o número de mulheres atingidas por essa condição é grande, cerca de 15% tendo como principal sintoma dores persistentes dentro e ao redor da vulva.

A vulvodínia pode atingir mulheres de todas as idades e muitas vezes ocorre em mulheres aparentemente saudáveis, o que atrasa significativamente o diagnóstico.

 A condição pode ser um problema a longo prazo e pode ser desencadeada por algo tão simples como usar um absorvente íntimo ou mesmo o toque mais rude, do parceiro durante o sexo. Já para algumas mulheres, a condição aparece sem nenhum gatilho aparente, um dia, ela corda e sente coceira ou dores na região genital.

As dores e ardência que atinge a região genital, em algumas mulheres, irradiam também para a parte interna e externa das coxas.

Muitas vezes é preciso mais de uma visita ao médico (ou vários médicos) até que o diagnóstico seja fechado, isso porque os sintomas se assemelham bastante com outros problemas que atingem a região genital.

O tratamento pode incluir gel anestésicos até remedidos indicados normalmente para os quadros de depressão.

Há também uma série de coisas que você pode fazer em casa para ajudar a se sentir melhor, como usar roupas íntimas 100% algodão, evitar produtos de higiene perfumado e aplicar compressas frias na área para aliviar a dor, além de evitar lubrificantes artificiais (saborizados, perfumados etc...), se há necessidade de aumentar a lubrificação, dê preferência ao óleo de coco orgânico, por exemplo.

Evitar usar o tempo todo roupas apertadas (jeans), também ajuda e é claro que toda mulher deveria ter um tempo disponível pra andar totalmente nua, mas como nem sempre temos esse tempo e espaço privado, pelo menos dispa-se na hora de dormir, não somente a região íntima, o corpo todo precisa e merece respirar!

Fique atenta também, se você já passou dos cinquenta anos, a idade pode ser um fator agravante. Os baixos níveis de estrogénio estão associados a uma perda de lubrificação, condição que, por si só, pode desencadear a condição. Nestes casos, o melhor é mesmo consultar um médico ginecologista para receber orientação adequada para fazer frente às consequências da queda deste hormônio.

Como falei, fechar o diagnóstico correto levará ao tratamento ideal, mesmo porque os sintomas são compatíveis também com outras doenças.

Regina Racco

Cultive bons hábitos diários:

1. A comichão na vulva, pode representar um quadro de dermatite ou uma inflamação cutânea, que pode ser causada por lâminas, calças apertadas, roupas de treino pouco transpiráveis, roupas íntimas de fios sintéticos etc. Trocar a lâmina a cada três utilizações, evitar roupas muito apertadas ou tecidos sintéticos já ajudará bastante.

2. Se você usa medicamentos, em particular antibióticos de longo prazo, pode também desencadear infeções vaginais recorrentes, se você usa este tipo de medicamento e está sentindo essa reação, peça ao médico para trocá-lo.

 3. Se você é diabética, saiba que problemas na região íntima são comuns, ao primeiro sintoma, busque ajuda médica e mantenha a higiene regularmente.

 4. O uso de alguns contraceptivos pode também desencadear algum tipo de reação na região genital. Vale o que falei sobre os antibióticos. Fez mal? Peça ao medico para trocar por outro.

 5. Lubrificantes, alergia a camisinhas, sexo intenso ou mesmo brinquedos sexuais mal higienizados pode levar a infecções vaginais, portanto redobre os cuidados. No caso dos lubrificantes, se houver álcool na formulação já será suficiente para desencadear alguma reação alérgica. Nossa região genital é delicada.

 6.Poxa... Acho que todo mundo já ouviu falar, mas vou repetir. A direção da higiene com papel é sempre da frente para trás! Melhor ainda se complementar com uma ducha após o numero dois, assim você protegerá a vagina contra as bactérias fecais.

 7. Absorventes internos
Usando corretamente, com as mãos limpas ao introduzi-los, trocando-os a cada quatro horas, mais ou menos, são totalmente seguros, contudo, o mau uso está associado à propagações de infeções e a sintomas físicos que podem dar origem a lesões e doenças graves, tome todo o cuidado possível e tudo ficará bem.




Voltar <<
fechar
Loja segura

A presença do selo LOJA SEGURA, quer dizer que todos os dados informados para a realização da transação financeira nessa loja virtual estão protegidos contra interceptação.

Este selo garante que a infra-estrutura de segurança utilizada nesta Loja Virtual foi projetada para oferecer o máximo de proteção e eficiência aos seus clientes, possibilitando a realização das transações com o máximo de segurança.

Loja segura
Company:
Adress:
Telephone:
Email Contact:
CPF/CPNJ:

Loja segura

Essa loja virtual está hospedada em um moderno parque de servidores, onde estão hospedadas centenas de lojas virtuais que utilizam a plataforma Shop Delivery, reconhecida como referência em qualidade e garantia de um comércio eletrônico seguro.

Como protocolo de segurança de tráfego, esta loja utiliza o SSL. Ele criptografa todas as informações, de modo que não possam ser lidas ou alteradas por terceiros enquanto estão transitando pela Internet.

Loja segura